Sucesso Ousado

Texto de Judith Lechman

Por mais dolorosas que sejam as nossas experiências, devemos continuar servindo de modo a refletir a ousadia de Cristo. Para dar testemunho contra a injustiça, a desumanidade e outros aspectos de nossa fragilidade em um mundo de trevas, precisamos desenvolver esta qualidade de ousadia cristã em nossos pensamentos e atos.

A ousadia tem nela mesma uma simplicidade refrescantemente honesta e direta. Os servos ousados não são agressivos nem chatos, mas de forma mansa e eficiente trabalham para aliviar o sofrimento por meio dos métodos mais diretos disponíveis. Não existem significados ocultos por trás de suas palavras. Não há meias medidas a serem tomadas. A ousadia é um fenômeno de tudo ou nada, pois os servos ousados desenvolveram o seu relacionamento com Deus o suficiente para assumir riscos, apesar do medo do envolvimento que sintam. Reconhecendo as maneiras específicas pelas quais o Senhor deseja que o sirvam, os discípulos de Cristo ousados optam por idéias decisivas em vez de hesitantes e por atitudes atrevidas em vez de tímidas.

A ousadia apaga os limites que permitimos que o medo coloque em nossa capacidade de servir. Com ousadia, além de vermos também agimos na crença de que todos aqueles que encontramos são nossos irmãos e irmãs na família de Deus, merecendo o respeito, a dignidade, a compaixão, a doação. Com ousadia, colocamos o bem-estar dos outros antes do nosso próprio. Com ousadia, os que não são desejados nem amados tornam-se desejados e amados por nós. Com ousadia, nós nos recusamos a hesitar por medo de enfrentar oposição, podemos sofrer, podemos ser rejeitados, podemos ser ofendidos, podemos estar em perigo.

Estando submissos a Deus, atrevemo-nos a nos tornar “escravos de todos” em Cristo, deixando que Deus nos use com ousadia no serviço cristão.

There are no comments on this post

Leave a Reply